Seleção brasileira, a reconstrução começa

Banner Seleção brasileira, a reconstrução

 

Depois da aula de futebol que tivemos dos alemães na semi final da copa do mundo ficou claro que o futebol brasileiro “morreu”, aquele mágico time denominado de super brasil de 1986 era uma seleção completamente superior ao que tínhamos na copa do mundo desse ano, onde os jogadores não eram vaidosos, mais determinados a ganhar e acima de tudo, tinham raça e suavam a amarelinha, ao passar dos anos mesmo com as conquistas de 1994 e 2002 o time brasileiro vem caindo de produção e  o encanto e respeito que o mundo tinha sobre a camisa canarinho foi completamente pisoteado por Klose e companhia no trágico 8 de julho de 2014. O Brasil fora humilhado dentro de seu próprio território numa copa do mundo.

foto: Getty Images

foto: Getty Images

 

Pois bem, alguns meses se passaram e ainda não dá pra esquecer do trágico placar, agora com a volta do técnico Dunga, o Brasil se reformula com novos e velhos nomes para reconstruir a trajetória de 100 anos vitoriosos da seleção brasileira, na última sexta feira em Miami, nos Estados Unidos, a seleção volta em cena para demonstrar o que o Dunga andou treinando com os jogadores nos últimos dias e o que vimos foi um bom futebol apresentado pela canarinho mesmo com o fraco resultado de 1-0 sobre a Colômbia, na qual tivemos um jogo difícil pelas quartas desta copa.

O que vimos do time brasileiro foi um time muito diferente da copa do mundo, era uma seleção de toques rápidos e muita correria nos contra ataques com passes objetivos que não foram bem aproveitados na hora da finalização, que é um aspecto a melhorar. Já a defesa por si estava bem estruturada com David Luiz e a novidade desse novo time do Dunga, o zagueiro Miranda que foi muito bem nas bolas aéreas e deixou a também novidade, o goleiro Jefferson sem muitos sustos ao longo do jogo. Neymar, autor do belo gol de falta e a outra novidade no ataque Diego Tardelli se movimentaram muito e foram caçados pela defesa Colombiana que só paravam-os com falta. O meio campo composto por Oscar e Everton Ribeiro apareceu com frequência nas jogadas de perigo da seleção com toques rápidos e lançamentos pelas laterais, porém não iam pra cima da defesa como esperávamos.

Foto: Bruno Domingos / Mowa Press

Foto: Bruno Domingos / Mowa Press

 

Resumindo, é muito cedo pra falar que o time brasileiro “voltou a cena“. Dou a nota de 6,5 para o time nessa primeira apresentação pós-copa que no duelo contra Alemanha e Holanda de 0 á 10 foi nota 1,5. Teremos que esperar amistosos contra as seleções europeias de maior expressão, para medirmos as evoluções e os aspectos que devem ser melhorados para as eliminatórias e  Copa América primeiramente.

O próximo jogo da seleção brasileira será amanhã (08/09), contra a seleção do Equador ás 22 horas (horário de Brasília), em New Jersey, também nos Estados Unidos.

 

Pra frente Brasil! salve a seleção! ♫

 

 

Anúncios